Este website utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Para aceitar o uso de cookies basta continuar a navegar no website. Para mais informação consulte a nossa política de privacidade e de utilização de cookies.

OK

O Ayurveda e o Verão

Ayurveda e Verão
Não tens tempo para ler? Ouve este artigo no formato podcast! Clica aqui.

 

No verão, várias mudanças ocorrem dentro e fora do nosso corpo: não só estamos mais expostos ao sol como também as temperaturas aumentam, os dias são mais longos e a digestão é menos aguçada. Neste artigo partilho contigo, entre outras curiosidades, o que o Ayurveda nos ensina para mantermos o equilíbrio nesta estação do ano.

 

 

Cuidados da pele

A pele é um dos órgãos mais afetados no verão, pois todos queremos ficar bronzeados e nem sempre o fazemos da forma mais responsável. E não me refiro apenas à exposição solar, mas também à hidratação (interna e externa).

 

“Os raios ultravioleta (UV) provocam cancro de pele?” – sim e não. Estudos apontam para uma maior prevalência de melanoma em pessoas com historial de queimaduras solares1, também conhecidas por escaldões. No entanto, a exposição moderada aos raios UV não entra para estas estatísticas e até tem benefícios, entre eles2:

  • Produção de vitamina D;
  • Melhoria do humor que segundo alguns autores pode também estar relacionada com o aumento dos níveis de endorfinas, as hormonas da felicidade (afinal, quem não fica feliz quando está sol?).

Aproveito este tópico para esclarecer algo que ouço as pessoas dizerem muitas vezes: não se apanha vitamina D, produz-se! A vitamina D é produzida no nosso corpo, utilizando o colesterol como precursor numa cadeia de eventos que começa na pele e termina no fígado3.

 

Vitamina D

 

Sabias que apenas 15 minutos com os braços e as pernas expostos ao sol são suficientes para produzir 2000-4000 IU de vitamina D na sua forma ativa1 (o equivalente a 1-2 cápsulas da marca Solgar)?

 

A Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia, recomenda evitar a exposição solar direta entre as 12:00 e as 16:00, ou entre as 11:00 e as 17:00 para pessoas com pele mais sensível4. Se por força das circunstâncias tiveres de te expor ao sol durante estes períodos, sugiro que optes por um protetor solar que seja o mais natural possível. Eu gosto muito da marca Acorelle. Atenção: óleo de coco não é protetor solar!

 

Podes manter a tua pele hidratada de dentro para fora e vice-versa:

  • Nos dias mais quentes, um adulto saudável deve ingerir pelo menos 1,5 L de água. Fica atento(a) às necessidades do teu corpo, pois é natural que precises de mais;
  • Recorre a um óleo vegetal virgem extra para manteres a tua pele nutrida. Eu vou alternando entre azeite, óleo de coco e óleo de sésamo.

 

A prática da automassagem é uma das ferramentas da rotina diária mais recomendada no Ayurveda. Idealmente, esta é realizada de manhã, antes do banho. Nas férias, poderás sentir necessidade de fazer um ajuste na rotina e passar a aplicação de óleo para a noite, quando regressas da praia. Após a exposição solar, a pele absorve o óleo como uma esponja! Além de ser uma experiência muito reconfortante, ajuda a tirar aqueles grãos de areia que insistem ficar colados à pele. Termina com um duche de água morna e escuta a tua pele dizer “o-bri-ga-da”. Seja em que momento do dia for, a automassagem é uma excelente forma de manteres a tua pele limpa e hidratada.

 

 

Alimentação no verão

Os elementos da natureza estão presentes em tudo o que existe, desde o nosso corpo às estações do ano. Por isso, quando o ambiente à nossa volta muda nós sentimo-nos diferentes. A digestão responde diretamente às alterações do meio e tu vais já perceber porquê.

 

Considerando a localização geográfica de Portugal, podemos dizer que ao longo dos primeiros seis meses do ano a temperatura aumenta gradualmente. De forma a manter o equilíbrio, o corpo promove mais trocas de calor com o exterior, mantendo uma temperatura interna adequada aos processos vitais. Por esta razão, a digestão, ou agni, é mais fraca nos meses mais quentes. Em contrapartida, no inverno transpiramos menos, a nossa digestão é mais forte e toleramos alimentos mais pesados.

 

De um modo geral, o corpo prefere alimentos cozinhados. As saladas cruas podem ser bastante disruptivas para algumas pessoas, especialmente nesta altura do ano. Se sofres de flatulência, digestões lentas e distensão abdominal, experimenta retirar os alimentos crus da tua vida durante umas semanas e avalia como te sentes. Tenho a certeza de que vais melhorar.

 

A exceção à regra anterior é a fruta: um alimento rico em vitaminas e sais minerais que tem mais vantagens quando consumido cru. Atenção! É preciso saber comer a fruta crua de forma a potenciar a digestão e não o contrário. O verão presenteia-nos com uma panóplia de frutas deliciosas e tu podes aprender a consumi-las corretamente no meu artigo Fruta: Mitos e Verdades.

 

Seja qual for o teu ponto de partida, o primeiro passo para uma alimentação saudável em qualquer estação do ano é desfrutar dos alimentos que a terra dá naturalmente, ou seja, sem recurso a estufas ou viveiros. Partilho contigo uma pequena lista dos alimentos mais predominantes no verão5:

  • Cereais: kamut, milho, millet, polenta, cevada e centeio entre outros preservados secos, tais como a aveia;
  • Vegetais: primaveris ainda disponíveis, mostardas, beldroegas e solanáceas (com moderação), tomate, batata, beringela, pepino, curgete, pimentos;
  • Leguminosas: feijão verde e ervilhas entre outras preservadas secas, tais como lentilhas e feijão mungo;
  • Fruta: melancia, melão, meloa, ameixas, pêssegos, cerejas, frutos vermelhos (amoras, framboesas, mirtilos, groselhas, góji, morangos e sabugueiro), figos, maçã, manga, maracujá;
  • Carne: peixe do mar e carnes de produção sustentável.

 

 

Alterações na rotina

Durante o verão, pode ser desafiante manter o equilíbrio nos dias mais quentes. Andamos com a tensão arterial mais baixa e precisamos de pedir autorização a uma perna para mexer a outra, literalmente. Ajusta a tua rotina o melhor que conseguires para usufruíres mais das manhãs: o sol nasce cedo e a brisa está fresca, é o cenário perfeito para a prática de exercício físico ou, simplesmente, para adiantar tarefas permitindo-te curtir um pouco mais a vida depois do trabalho.

 

"No verão, os dias devem ser passados em florestas com árvores altas, que ajudam a filtrar o calor do sol. As noites devem ser passadas em terraços a dormir sob a luz lunar.” - no Ashtanga Hrdayam

 

Para usufruir de uma manhã energética é preciso dormir bem. Com o pôr-do-sol às 21:00 e o lusco-fusco até às 21:30, a rotina noturna veranil arrasta-se muitas vezes até tarde. Pelas palavras da pediatra Helena Estêvão, especialista em medicina do sono, nós beneficiávamos se deixássemos de ter a mudança da hora e adotássemos permanentemente o horário de inverno6. Uma vez que não é esta a nossa realidade, deixo-te algumas dicas que potenciam uma noite de sono reparadora iniciada não muito depois das 22:00:

  • Apanha sol assim que acordares de forma a regulares o teu ritmo circadiano – para quem não sabe, uma boa noite de sono começa logo de manhã;
  • Não pratiques exercício físico depois das 18:00/18:30 – a partir desta hora o corpo começa a abrandar o ritmo sob o efeito do dosha kapha;
  • Evita beber café depois das 14:00 – a cafeína fica mais tempo em circulação do que imaginas;
  • Janta pelo menos 3 horas antes de te deitares – se não conseguires, faz uma refeição mais leve;
  • À noite, põe de parte o telemóvel e a televisão e dedica-te mais à leitura.

 

No Curso Ayurveda Online aprofundamos estas temáticas e muitas mais. Se te interessas por Ayurveda e queres aprender mais, inscreve-te já na próxima edição (inicia em setembro)!

 

Espero que tenhas gostado deste artigo. Vemo-nos no próximo!

 

Com amor,
Mafalda

 


A informação apresentada é meramente informativa, de índole genérica, não contendo uma análise exaustiva de todos os aspetos dos temas analisados, pelo que não substitui aconselhamento especializado.

Subscreve a minha friendsletter (gratuita)! 

 

1 - Vitamin D in the skin physiology and pathology, disponível em ojs.ptbioch.edu.pl
2 - The benefits and risks of ultraviolet (UV) tanning and its alternatives: the role of prudent sun exposure, disponível em ncbi.nlm.nih.gov
3 - Vitamin D metabolism, disponível em pubmed.ncbi.nlm.nih.gov
4 - Cuidados com a pele, disponível em spdv.pt
5 - Agenda Seiva (adaptado), disponível em agendaseiva.pt
6 - Diário do sono (o teu mal é sono), disponível em oteumalesono.com