Este website utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Para aceitar o uso de cookies basta continuar a navegar no website. Para mais informação consulte a nossa política de privacidade e de utilização de cookies.

OK

Ayurveda e Animais de Estimação

Ayurveda e Animais de Estimação

Mafalda, os princípios ayurvédicos também se aplicam aos animais? – ouço esta pergunta com alguma frequência. A resposta é sim. Os tratados clássicos do Ayurveda têm imensas referências ao cuidado dos animais como, por exemplo, os cavalos.

 

Foi no ano em que adotei o Floki (o rafeiro lindo que está na foto) que comecei também a investir no Ayurveda de uma forma mais profissional. Neste artigo, partilho de que forma o meu animal de estimação tem beneficiado das mezinhas ayurvédicas ao longo da sua vida.

 

 

Ghee para os animais de estimação

Tomar os medicamentos

O significado da palavra em sânscrito anupana é substância de transporte. Uma substância de transporte é importante, entre outras coisas, para garantir a absorção eficaz de um determinado princípio ativo. Dadas as suas qualidades, o ghee é muitas vezes usado como anupana nos seres humanos.

 

De cada vez que o Floki tem de tomar um medicamento ou um suplemento, o ritual costuma ser o seguinte:

  1. Envolver em ghee o medicamento inteiro ou reduzido a pó1;
  2. Deixar o animal de estimação lamber o preparado (este passo costuma acontecer sem qualquer sacrifício).

 

 

Suavizar a ração

Em animais de porte atlético ou cuja constituição é tendencialmente mais magra (dosha vata predominante), humedecer a ração com ghee oferece bastantes benefícios. É nutritivo e favorece a absorção dos nutrientes.

 

Basta derreter uma colher de chá de ghee e misturar com a ração, diretamente no prato. Uma vez que o menu ficará bastante mais apetecível, é importante controlar as quantidades. Mesmo para animais que costumam ter a ração à disposição e só comem quando têm fome (o caso do Floki), assim que colocar o ghee no prato, a ração vai desaparecer como que por magia. Por isso, para os mais comilões e/ou com uma constituição mais pesada, o ghee na ração poderá não ser uma boa ideia.

 

 

Pacificar dores de barriga

Em todos os processos de dor que ocorrem no nosso corpo, há um agravamento do dosha vata. Nos animais não é muito diferente – se o seu animal de estimação estiver com dores de barriga, uma colher de ghee morno pode salvar a situação, pois pacifica vata que é, entre outras coisas, seco e frio

 

No Floki, estes episódios manifestam-se desta forma:

  • Muitos ruídos na barriga;
  • Ganidos e contorção do corpo;
  • Tentativas repetidas e incansáveis de se aninhar no colo dos humanos.

 

É importante que não se verifique a ocorrência de diarreia – neste caso, a ingestão de ghee poderá ser contraindicada.

 

 

Mel para a tosse

Já ouviu um cão tossir? Quer seja por alergia a algo que cheiraram ou porque estão mesmo constipados, os cães também tossem e pode ser muito perturbador, para eles e para nós.

 

O mel pacifica kapha e vata, por isso, se o seu cão tossir várias vezes num curto espaço de tempo, experimente dar-lhe uma colher de mel cru antes de correr para o veterinário. Esta toma terá de ser um pouco forçada, uma vez que os cães não gostam propriamente da textura do mel. Eu costumo pôr o mel no meu dedo e depois esfregar na língua do Floki – o que tem de ser tem muita força.

 

 

Curcuma como cicatrizante

Lembro-me de assistir a uma palestra na Faculdade de Medicina de Lisboa com o Doutor Ghanashyam Marda (médico ayurvédico), na qual ele descreveu o caso de um paciente diabético com o pé gangrenado. O paciente em causa seria sujeito, em poucas semanas, a uma cirurgia com amputação completa do pé. A prescrição do Doutor Marda foi a aplicação de curcuma em pó em toda a gangrena e o arejamento continuo do pé, para uma boa oxigenação dos tecidos. Algumas semanas depois, o paciente foi operado e a amputação cingiu-se apenas ao dedo mindinho. Desde então que tenho vindo a aplicar e a recomendar curcuma em pó para vários tipos de lesão e pude sempre observar uma cicatrização drasticamente rápida.

 

Um belo dia, depois de uma caçada malsucedida a um coelho, o Floki ficou com as pernas feridas dos arbustos que desbravou durante a sua perseguição. Apliquei curcuma em pó e no dia seguinte as lesões já estavam praticamente saradas.

 

Espero que tenha gostado destas dicas e que as mesmas contribuam para o bem-estar do seu animal de estimação. Não se esqueça que, se os sintomas persistirem ou se suspeitar de algo grave, deve sempre consultar um médico veterinário.

 

Com amor,

Mafalda

 


A informação apresentada é meramente informativa, de índole genérica, não contendo uma análise exaustiva de todos os aspetos dos temas analisados, pelo que não substitui uma consulta com um médico veterinário.

1 - Alguns medicamentos possuem um revestimento especial para evitar a degradação dos seus princípios ativos pelos sucos gástricos do estômago e, por isso, não devem ser triturados. Antes de reduzir a pó um medicamento, aborde esta questão com um médico veterinário.