Este website utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Para aceitar o uso de cookies basta continuar a navegar no website. Para mais informação consulte a nossa política de privacidade e de utilização de cookies.

OK

Ayurveda: Como controlar a ansiedade naturalmente

Como controlar a ansiedade

A medicina ayurvédica fornece ferramentas práticas e eficazes para controlar a ansiedade naturalmente. Contudo, para que estas não se tornem paliativas, é importante perceber a origem do desequilíbrio. Afinal, o que desperta esta reação fisiológica em si?

 

Segundo o Ayurveda, o corpo e a mente são, na sua individualidade, inseparáveis e interdependentes na vida de um ser humano1. É por esta razão que desequilíbrios como, por exemplo, a ansiedade e a depressão, afetam diretamente a saúde física e vice-versa.

 

Como controlar a ansiedade naturalmente? Para ajudar a responder a esta pergunta, convidei a coach Joana Laranjeiro do blog Mãe Catita. A Joana é, para mim, uma enciclopédia viva do comportamento humano. Além disso, tem um dom inato e muito especial para lidar com crianças e adolescentes - quem não gostaria de ter um manual de instruções?

 

 

Como controlar a ansiedade naturalmente?
Por Joana Laranjeiro

A ansiedade é uma ameaça interna que sentimos ao nosso Ser em situações que na verdade não apresentam uma ameaça real, como aparecer um leão esfomeado à nossa frente. O filme da situação, passada ou futura, é passado num loop stressante na nossa cabeça, prevendo tudo o que de negativo pode acontecer. Há uma preocupação constante que nos invade e uma tentativa gigantesca de controlar, o que não é controlável. Será que posso mudar este filme interno?

 

Existem três ferramentas que podem fazer a diferença:

 

Lidar com o erro positivamente

Para mim, para desenvolver ferramentas internas para regular a ansiedade, é essencial ter uma relação positiva com o erro. Vê-lo como fonte de aprendizagem e não como algo a evitar. O perfecionismo é um enorme gerador de ansiedade, e não um promotor de crescimento pessoal.

 

Ser o nosso melhor amigo

Quando alguém de quem gostamos comete um erro, como o tratamos? Essa gentileza e aceitação deve existir na forma como nos tratamos. Perdoar-nos, sermos gentis e compreensivos connosco é altamente poderoso para a qualidade da nossa saúde mental. Note como fala consigo quando as coisas não correm de uma forma muito catita, e mude a cassete interna.

 

Valorizar o processo

Estamos numa sociedade que valoriza o resultado, a nota, a visibilidade. Isto desconecta-nos de nós. Aprenda a valorizar o processo, o progresso, a superação, a dedicação e a pessoa que é. Esta mudança de perspetiva favorece uma autoestima saudável que é a estrutura interna e a aliada mais poderosa na superação da ansiedade.

 

Leia mais sobre ansiedade e educação na era digital no artigo Como Educar na Era Digital.

 

 

A medicina ayurvédica e a ansiedade

Sattwa é a mente no seu estado mais puro e equilibrado, imperturbável e livre de doença. Uma mente sattwa apresenta autocontrolo e capacidade de discriminar o bom do mau, como, por exemplo, no que respeita ao próprio organismo. Rajas é a qualidade de uma mente autoritária, agitada, violenta e invejosa que se nutre do seu excesso de confiança. Tamas representa uma mente inerte, ignorante e tendencialmente letárgica.

 

Na origem da ansiedade está o descontrolo de rajas e tamas. A perturbação da mente a este nível está relacionada com o desequilíbrio do dosha vata no corpo.

 

O agravamento do dosha vata deprime a mente, gera medo, tristeza, assombro, sensação de necessidade de ajuda, delírio, etc.1

 

Assim, para cultivar uma mente pura e equilibrada, ou sattwa, o Ayurveda sugere que:

  • Nutra uma boa relação consigo mesmo - as dicas da Joana são bastante úteis - e com o próximo, praticando ações que tragam valor à sociedade;
  • Tenha uma rotina saudável, incluindo ciclos de sono reparadores, 30 minutos de atividade física e horários de refeição estáveis e adequados;
  • Dedique, pelo menos, 10 minutos por dia (quanto mais melhor) à prática de meditação, isto é, um momento de introspeção durante o qual se permite observar os seus pensamentos e emoções sem julgamentos nem explicações;
  • Opte por uma alimentação sattwa - somos aquilo que digerimos, lembra-se?

 

automassagem é uma das terapias ayurvédicas que atua primariamente no dosha vata, equilibrando-o. Incluir esta prática na sua rotina matinal é não só uma forma natural de manter os níveis de stress e ansiedade equilibrados como um ato de amor-próprio do qual estou certa de que o seu corpo lhe vai agradecer.

 

 

Alimentação ayurvédica para reduzir a ansiedade

Ter uma alimentação sattwa não é difícil, tampouco complexo. Seguem-se algumas dicas orientadoras:

  • Coma com atenção plena, sem conversas, ecrãs ou outras distrações;
  • Pense nos alimentos que constituem a sua refeição e no percurso que cada um deles fez até chegar ao seu prato;
  • Agradeça à mãe natureza e a todos os intervenientes que tornaram a sua refeição possível (não se esqueça que também faz parte desta equação);
  • Privilegie os alimentos frescos, repletos de vida, facilitando, desta forma, o seu reconhecimento por parte do sistema digestivo.

 

A prescrição de um tratamento individual e personalizado para a ansiedade apenas pode ser feita em consulta, após uma análise cuidada do paciente. Contudo, algumas recomendações alimentares podem ser generalizadas, tais como evitar o consumo de café, chá, chocolate, refrigerantes, picante, álcool e tabaco.

 

Tudo aquilo que colocamos no mundo, sejam elogios ou ofensas, bondade ou maldade, otimismo ou pessimismo, percorre primeiro todas as células do nosso corpo. Pense na forma como deseja alimentar o seu corpo e, assim, alimentará o mundo.

 

Com amor,

Mafalda

 


A informação apresentada é meramente informativa, de índole genérica, não contendo uma análise exaustiva de todos os aspetos dos temas analisados, pelo que não substitui uma consulta com um terapeuta especializado.

1 - Manovikara (Mental Disorders) in Ayurveda, disponível em www.ncbi.nlm.nih.gov

Fotografia por Artem Kovalev